A pasta que guardou um AMOR de INFÂNCIA...

Image v1
outubro
19
Marcas da nossa vida

Por Maria José Martins

Foi uma memória que saltou de dentro das malas “António” assim que vi a imagem da Cristina Amaro de mochila às costas no Imagens de Marca.

É esta a memória que tenho de mim aos 10 anos, a caminho da escola primária todas as manhãs... Uma rotina de criança que se tornou um dia especial e que nunca mais me deixou esquecer aquela pasta com as duas alças que colocava às costas. É que certo dia, ao sair da porta do prédio, fui surpreendida pela voz de um rapazinho da minha rua:

– Olá! Vim só dizer-te bom dia e dizer que és muito bonita. – Senti um calor subir-me às bochechas e nem consegui balbuciar uma palavra. Estava envergonhada, pois o tal rapazinho, que era um ano mais velho do que eu, também me encantava secretamente. Foi o meu primeiro amor. É claro que ele percebeu a minha atrapalhação! Sem muitas demoras – talvez porque estivesse também a aproveitar um ímpeto de coragem, quiçá após um sonho romântico –, disse-me para continuar o meu percurso para a escola e não me atrasar.

Mal virei costas – como que se tivesse vontade de me tocar –, deu-me uma pancadinha na pasta, que fez com que esta se desengonçasse de um lado para o outro:

– Desculpa! – Disse, muito apressado, para eu não me zangar com o gesto traquina. – Foi uma pancadinha de amor… e as pancadinhas de amor não doem...

E não doeram! Este fragmento de vida escondido na memória daquela pasta da escola, que a marca António recuperou, faz parte de um amor que tem sido muito bem guardado e já dura há 26 anos!

Viver as marcas